para que as aves não esqueçam o voo... e as árvores não deixem de anunciar a primavera...

Seguidores

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009


sento-me na madrugada...

dispo-me lentamente, do pó do dia...

nua e de mãos vazias, diante da janela, distraidamente aberta...

espero!...

o sopro leve que me arrepiará a pele...

a caricia diáfana e prateada de véus de chuva que, secretamente...

tomaste à Lua...



4 comentários:

Morgana disse...

Que brisa me levará?
Que chuva me tornará presente?
Tomando a lua por testemunha!

Beijos

simplesmenteeu disse...

Na hora em que o receio adormece na memória... e a noite embala de doçura, os que não perderam a fé...
A brisa há-de segredar o lamento, a voz e o arrepio...E os corpos molhados, da chuva e da espera, romperão as nuvens, para se tocarem e adivinharem...
Brisa e chuva de renovação!

A lua, conhecedora de todos os mistérios da noite...
sorrirá...

Beijos (com pó de estrelas...)

Pedrasnuas disse...

Sentas-te na madrugada...assim nua,as mãos vazias...diante de uma janela...ESPERAS?!
E se o sopro leve não entrar nem arrepiar a pele
e a carícia límpida e transparente ficar ausente?
Continuarás à ESPERA?!

Abraço meu

simplesmenteeu disse...

Esperar é também um exercicio dificil...
Muitos deixaram de esperar e de acreditar. E, limitam a vida, a objectivos materiais.Mais fáceis de conseguir embora dificeis de abandonar...
Correr atrás de... ou fazer acontecer...Custo-me muitos momentos maus... Se calhar nunca soube escolher os caminhos... ou os tempos nunca se acertaram...

Abraço terno



Chove no país das fadas...

e até as árvores se esqueceram de anunciar a primavera!...


Acerca de mim

A minha foto
procura de um sentido... .-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. "em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos" --A. Saint-Exupéry--