para que as aves não esqueçam o voo... e as árvores não deixem de anunciar a primavera...

Seguidores

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009



adiam-se sonhos, no parapeito da espera...


colam-se à crueza do passar do tempo,


entre o mutilismo da renuncia e o desafio do salto.


esquinas do medo, com frio de lança e sangue no olhar...


ermo e desabitado lugar, onde as vozes não chegam e o luar se nega...




...onde o olhar cega e a memória se apaga...

4 comentários:

Morgana disse...

Simplesmenteeu

Os sonhos adiados são ainda sonhos se não deixarmos que a memória os encerre no medo.

Beijos

Ana

simplesmenteeu disse...

Ana
Continuo no patamar da espera...
Talvez umas asas se abram e me levem no voo, para a possibilidade do sonho...
(Talvez acabe por saber merecer a fé e a confiança...)
Talvez...

Beijos (embrulhados em prata)

Pedrasnuas disse...

Não fiques à espera...se tens asas não podes parar!
Vai rodando,vai riscando e arriscando
(Tal como o caminho faz-se caminhando)
O sonho faz-se sonhando...

Beijo esperança

simplesmenteeu disse...

Algumas esperas são inuteis...
As asas também se cansam e têem momentos de desânimo...
mas, chega o momento, em que voltam a riscar o ceu, bebem o seu azul... e refrescam as penas nas águas dos rios...
e tudo volta a ser chama e luz.

Beijo grande



Chove no país das fadas...

e até as árvores se esqueceram de anunciar a primavera!...


Acerca de mim

A minha foto
procura de um sentido... .-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. "em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos" --A. Saint-Exupéry--