para que as aves não esqueçam o voo... e as árvores não deixem de anunciar a primavera...

Seguidores

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

**


desço os dedos no mapa da cidade
veias que o sangue intumesce e salga
os sinos marcam a hora do recolher das aves
da carícia do vento nas folhas que se entregaram ao sorriso do chão.
hora crepuscular. linha entre o dia e a noite.
banco de sobras e verbos não conjugados.

os gatos começam a procurar a face da lua.
os homens despejados da vida procuram abrigo
onde esconder o abandono e o olhar desenganado.

no sótão, onde a luz se derrama nua e vertical
o dia demora-se um pouco mais.
desfaço a rotina que o destingiu, o engajamento da feira de utilidades.
lambo a tinta da china o barco que se solta das grades da memória.
acordo o rio para que volte a cantar os dias e embale a música das noites.
**

23 comentários:

continuando assim... disse...

e encontras a tua "chave do medo" :)
gostei

bj
teresa

gabriela rocha martins disse...

desfazendo rotinas

embalo.me na música das tuas noites apalavradas e

sem medo.......



.
um beijo

Ana Oliveira disse...

Que rios cantam
Que rios embalam
Que cantos e que musicas
Nos resgatam das memórias?

Noites de mão estendida a recolher gotas de luar, para pintar, no azul do dia, o brilho de um sol que nos falta.

Assim seguimos, a lutar contra as margens que nos espartilham, ao encontro da foz que nos liberta e lança no mar o que resta de nós.

Um beijo

Ana

Mariz disse...

Um rio, CONTORNA AS SUAS MARGENS!

E já agora...
de que côr tenciona pintar o seu dia amanhã?
Hum?

Deixo um gesto de esperança num sorriso ...

Mariz

OM SHANTI !!
do Sânscrito: (OM) Eu Sou
(SHANTI) PAX

Mariz disse...

Ah! Esqueci-me de acrescentar lá em cima:

"QUE NADA TE PERTURBE" - conhece?

Pense nisso...

M.

Barbara disse...

Sua poesia de tanta clareza e intensidade, que fiquei um tempo aqui em sua página, a imaginar o rio cantando os dias e embalando as noites, como o dizes.

isabel mendes ferreira disse...

gosto da chave que não fecha....:)


bom dia palavra a tinta indelével.

mie disse...

...que belo acordar.

um beijo L.

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

Desde mis BLOGS:

--- HORAS ROTAS ---

y

--- AULA DE PAZ ----

quiero presentarme

en esta nueva apertura

del eminente otoño.

Tiempo que aprovecho

ahora para desear

un feliz reingreso en

la actividad diaria.

Así como INVITAROS

a mis BLOGS:

--- HORAS ROTAS ---

y

--- AULA DE PAZ ----

con el deseo de que

estos sean del agrado

personal.

Momentos para compartir

con un fuerte abrazo de

emociones, imaginación y

paz. Abiertos a la comunicación

siempre.


afectuosamente :
SENTIDODOVOO



--- TE SIGO : SENTIDODOVOO ---





jose

ramon…

Lídia Borges disse...

Lindo poema derramado pela luz crepuscular...

Um beijo

M. disse...

anunciando o tempo outonal pela janela do sotão. acorda o rio depressa para que traga a luz maior.

lobices disse...

...retribuir a amável visita
...um abraço

SMA disse...

E eu fiquei no sótão das memorias... e tu não te esqueceste, fantastico!!!
.
.
.
encontro outonal!!!
.
.
bjo

ADiniz disse...

Quando tardamos os verbos
o tempo se apropria
e ele convence a razão
de que nunca fomos moradores
do nosso lar
dávamos a disfarçar
pelas salas da vida
abrindo as cortinas
como que a luz externa
pudesse abrilhantar o quarto em que dormia
Amanhece,
percebo o sol em minha casa
levanto-me,
pego em minhas mãos o que me pertence
e digo ao tempo que saia com o pretérito
pois tenho agora comigo uma nova companhia
que me renova a cada dia
o futuro.

Abraços e desejo-te dias em cor de lápis-lazúli.

maré disse...

atardam-se os verbos

aos homens entregues à memória das noites.

re.escreve-se a luz que um rasto de aves deixou.

.

é lindo!

_____

beijo

A musa adormecida disse...

A arte de voar!

avlisjota disse...

" os sinos marcam a hora do recolher das aves" Gosto mesmo muito da tua poesia, saio sempre mais rico e mais solto na misicalidade das tuas palvras.

Beijos

José

Cöllybry disse...

As memorias são como rosas...Lindo poetar...

Grata pela visita

Beijo

OlharIndiscreto...A curiosidade

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

O poema que aqui nos mostra

é muito bom.

gostei, sem reservas.

Cumprimentos

Pedrasnuas disse...

QUE A CHAVE ABRA TODAS AS PORTAS...QUE SEJA A LIBERTAÇÃO...
QUE OS HOMENS DE OLHAR DESENGANADO PROCUREM ABRIGO MAS TU NÃO
E QUE O BARCO SE SOLTE... DAS GRADES,DESSAS AMARRAS...E QUE O RIO FINALMENTE ACORDE O DIA E RENASÇA NUM GRANDE CAUDAL DE EMOÇÕES ESQUECIDAS E MORTAS NO TEMPO...

CONTINUAS EM GRANDE ESTILO

BEIJO CARINHOSO

Deusa Odoyá disse...

Olá minha docee nova amiga.
Que as chaves possam sempre abrir sua alma, trazendo muita luz e paz.
Muito lindo e iluminado, seu poema.
Adorei...
Uma semana de muitas realizações e paz.
beijinhos doces, minha nova amiga.
Regina Coeli.
Aguardo sua visita ao meu cantinho.
Voltarei sempre.

Crystal disse...

Sempre a verdade da vida na suavidade dos verbos...aveludados, como a alma de quem escreve e que de tudo faz poesia. Tens a alma de um pintor, cheia de cor e magia.

Gostei muito!

Bj

Arabica disse...

...às vezes penso que somos quase todos, gemeos do mesmo sentir.

Abraço, bom dia!



Chove no país das fadas...

e até as árvores se esqueceram de anunciar a primavera!...


Acerca de mim

A minha foto
procura de um sentido... .-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. "em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos" --A. Saint-Exupéry--