para que as aves não esqueçam o voo... e as árvores não deixem de anunciar a primavera...

Seguidores

quinta-feira, 26 de março de 2009

-
-





*






quando o ultimo viageiro da noite adormeceu, já a madrugada calçava os sapatinhos de cetim, com que esperava os dias.



a ramaria esfregava os olhos e vestia de renda verde, o castanho húmido dos caules.



havia um frémito de penas e folhas, a despertar a natureza que, indolente, ainda se espreguiçava...



o canto dos pássaros, em crescendo, era um apelo urgente de vida...



passavam em nuvem, prendendo o vento nas asas inquietas, a roçar o espanto do espectáculo único de cada dia...



ao vê-los, os barcos de papel, voltaram a fazer das veias o mar de todas as viagens possíveis... e acenderam no olhar o brilho do lume apagado...









*

43 comentários:

Maria disse...

Às vezes quando te leio pergunto-me porque tardaste tanto em aparecer assim, por aqui....
tanta beleza para nos dares...

um beijo. sempre.

simplesmenteeu disse...

Maria

É bom saber que gostas e que me sabes ler mesmo nos silêncios...
Tanto tempo passei sem escrever...
Deixei de ver o papel e a caneta como companheiros de solidão...
Começar a comentar, pode ter sido a maior conquista, deste meu ultimo trajecto de vida.

O beijo carinhoso de um Sempre

Pedrasnuas disse...

Conheço esse lugar,estive lá e fotografei-o mas não sei se tenho essas fotos,foi há muito tempo...

A noite acende o dia...
que maravilha de rumores
visualizo as palavras
poéticas,cheias de brilho,cor
magia
personagens de papel? que navegam
em todos os mares do mundo!!!

Para ti uma brisa muito especial e que os barquinhos deslizem o mais rapidamente possível pelas tuas veias...

clic disse...

Viageira neste teu texto, acreditei em possibilidades infinitas...

alice disse...

dá vontade de continuar a ler, indefinidamente :) um beijo e um bom fim de semana!

simplesmenteeu disse...

Pedrasnuas

Seria curioso rever as fotografias. Os lugares podem ser os mesmos, mas os momentos e os olhares são sempre unicos. E a tua maneira de ver e transmitir, faz a grande diferença...

Rumores... de folhas e penas em noites a recriar amanheceres...
Navegar... mesmo em mares que fecham os braços...

A brisa e os barcos... no dialogo silencioso dum poema...

Beijo carinhoso

simplesmenteeu disse...

clic

Eu também viajo pelas palavras...
Umas vezes porque acredito
Outras porque preciso acreditar...

Obrigada pela tua crença...

simplesmenteeu disse...

alice

de gestos delicados e mãos de carinho, são os caminhos do afecto.

bom fim de semana
beijinhos

Ana Oliveira disse...

A escrita...o sentido das palavras...o encontro...
Por isso venho e volto sempre a este prazer de ler, de te ler e de me ler, ditas por outras palavras que nao as minhas...as ideias e os estremecimentos da alma.

Gosto do mar a bater nas veias...imaginando ondas, no vai-vem do coracao.

Beijos

Ana

simplesmenteeu disse...

Ana

Por aqui eu vivo o encontro... Os encontros...
Porque também me encontro comigo própria... Dispo a máscara do racional, da indiferença e da distância... Deixo o deve e o haver atrás da porta...
Aqui, sou livre para sentir...
Estremeço, palpito... e mesmo quando me magoo continuo a sentir o bater das ondas e a ouvir o chilrear dos pássaros...
(os pássaros cantam na minha janela porque, tal como tu, todos os dias reparto com eles os meus alimentos)

Volta sempre. Conto com a tua mão amiga e todas as criticas que só me ajudarão a fazer e a ser melhor.

Beijos

gabriela rocha martins disse...

"passavam em nuvem, prendendo o vento nas asas inquietas, a roçar o espanto(...)"


como eu me teço em espanto
e
rendo


.
um beijo

simplesmenteeu disse...

gabriela

...eu sou o próprio espanto...de me ver por aqui...
sem me saber explicar a mim mesma...
e rendo-me... ao sem porquê, sem razão ou motivo...
e fico à espera de entender...

Um Beijo

Pedro S. Martins disse...

um rasgo na noite eterna.

simplesmenteeu disse...

Pedro

Obrigada pela visita e pelas palavras.
Não conhecia o seu blog. Mas sei que nos cruzamos em caminhos de palavras e de afectos.

Às vezes, temos de ser nós a rasgar a noite, para que o dia se mostre...

Um beijo

Pedrasnuas disse...

AMEI o comentário que lá depositaste...

Abraço carinhoso

Paulo Demétrio disse...

Excelente trabalho !

Nuno de Sousa disse...

Mais um magnífico texto, bela a tua escrita como sempre e fotos bem escolhidas um delas aqui de Sintra minha bela terra :-), por acaso tenho uma foto parecida com essa.
Bjs e uma boa noite por esses lados.
Nuno

Ana Oliveira disse...

Noite Feliz.
Sonhos feitos de sussurros vento e de asas brancas.

Um beijo

Ana

simplesmenteeu disse...

Pedrasnuas

...só posso dizer - AMEI que tu amasses!...
E sempre vou dizer o que as tuas palavras e fotografias me fizerem pensar e sentir.

Abraço carinhoso

simplesmenteeu disse...

Paulo

Obrigada pela visita e pelas palavras.
Assim que puder vou descobrir o teu espaço.

Beijo

simplesmenteeu disse...

Nuno

Os lugares podem ser os mesmos... A diferença está na forma de olhar e sentir cada coisa e cada lugar.
Sintra, uma terra que eu amo, como quase todos os lisboetas. Conheço o veludo de muitas das suas pedras...

As palavras que deixo por aqui, são só o libertar de emoções, escondidas ou sublimadas... Muitos afectos, ternuras... Muito do que vou colhendo na música de outras palavras, mesmo silenciosas...
Uma noite boa

Beijo

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo texto...bela fotografia...Espectacular....
Um abraço

Graça Pires disse...

Um apelo urgente de vida é todo o poema. Um beijo.

simplesmenteeu disse...

Ana

Obrigada, porque esse "noite feliz", passa como uma brisa doce em asas de renda...

Beijos

simplesmenteeu disse...

Chana

Obrigada pela visita e pelas palavras.
Já fui conhecer o teu espaço e vou lá voltar com mais tempo.

Abraço

gabriela rocha martins disse...

serena me resto quando me debruço sobre as tuas palavras.
.
.
.
das imagens ( seus complementos directos ) nem me atrevo
.
.
fica.me o silêncio dos murmúrios que gosto
.
e volto


.
um beijo

simplesmenteeu disse...

Graça

Um apelo que vivia adormecido...
Uma vida e palavras que nascem das pessoas a quem visito e leio.

Um beijo

A.S. disse...

Trazez a noite na alma
o sentido do voo no olhar...
as palavras sempre exactas
(as que preciso)
navegam em barcos de papel,
alimentam a fantasia,
convidando à interpelação,
ao espanto,
até que o universo
muda de partitura...


Admirável o teu texto!!!

Beijos...

gabriela rocha martins disse...

esqueci ,há pouco ,de satisfazer a minha curiosidade ( apenas curiosidade ) - é tua a fotografia do post?

linda


.
um beijo

simplesmenteeu disse...

gabriela

manda a justiça que eu diga,
as minhas palavras serenas, inquietas, magoadas... só existem porque há quem nos ofereça por aqui, o que escreve.
nascem e são um pouco, uma forma de gratidão a quem visito...

obrigada, por tudo o que partilha
obrigada, por dar atenção às minhas palavras

um abraço

simplesmenteeu disse...

A.S.
Os teus comentários são sempre um presente poeticamente gostoso.Obrigada.
Pegar nas palavras que lemos é, penso eu, a melhor maneira de dizer que nos tocaram.
As palavras e os sentimentos são simples barcos de papel... às vezes, no meio de temporais.

Um beijo

simplesmenteeu disse...

gabriela

muita pena que as fotografias não sejam minhas. tanto que gosto delas...
passaram 30 anos desde que fiz a última fotografia.
tantos, mais ou menos, quantos os que não escrevia.

obrigada pela força

um abraço

Ana Oliveira disse...

Boa noite

Deixo no meu blog um selo para ti, pelo prazer de vir e encontrar tanta doçura...

Beijos

Ana

tulipa disse...

Não conhecia mas gostei de passar por aqui
um abraço
tulipa

simplesmenteeu disse...

Ana

Obrigada pelo selo, o mimo e
acima de tudo, pelo teu afecto e atenção.

Beijos

simplesmenteeu disse...

tulipa

Obrigada pela visita e pelo comentário
Bom que tenhas gostado

Um beijo

Naty e Carlos disse...

ola adorei teu blog e um prazer lelo
bjs naty e carlos

simplesmenteeu disse...

Naty e Carlos

Obrigada pela vossa visita.
Fico feliz que tenham gostado
Irei também na descoberta do vosso blog.

Beijos

isabel victor disse...

peguei nos "sapatinhos de cetim" e sentei-me num canto descalça.


quase sinto "um frémito de penas e folhas, a despertar a natureza que, indolente, ainda se espreguiçava"


belo.muito



um beijo.simplesmente



eu (iv)

simplesmenteeu disse...

iv

esperar os dias no canto do sonho...
descalça, para sentir a humidade do amanhacer e o respirar da terra.
guardar, nos "sapatinhos de cetim", um resto de luar que a noite se esqueceu de esconder...

grata.muito.
pela visita e pelas palavras.

um abraço

Isabel disse...

beijo L.



até breve.


imf.

simplesmenteeu disse...

y

a brisa do sul passa...

em taça de flores

e um bando de asas de seda...

até breve. bom descanso!

beijo

Mika disse...

Gostei de me rever no Poço Iniciático e ler-te.
O voo branco das palavras deram o toque perfeito ao momento.
Adicionei aos favoritos.
Abraço

Miguel



Chove no país das fadas...

e até as árvores se esqueceram de anunciar a primavera!...


Acerca de mim

A minha foto
procura de um sentido... .-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. "em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos" --A. Saint-Exupéry--