para que as aves não esqueçam o voo... e as árvores não deixem de anunciar a primavera...

Seguidores

sexta-feira, 20 de março de 2009




o vento rasga o ventre da terra.
varre as vozes monocórdicas do conformismo.

baloiça nos dentes as palavras e o sangue...

fertiliza os corpos e os campos.
veste de verde e prata o pensamento e o sonho....

...é tempo dos dedos voltarem a ser música
e das sedas voltarem a ser toque...

10 comentários:

mié disse...

e Tempo, é!

...de outros ventos.

Oxalá!!


um beijo

muito terno

Ana Oliveira disse...

Eh tempo de o tempo ser mais do que pauta...e as sedas serem mais do que veste...
Haja musica... e pele...
Que o vento rasga o conformismo!

Um beijo grande

Ana

A.S. disse...

E nessa hora intima da noite,
quando os mantos de seda
mais se oferecem,
há uma flor aberta de saudade,
um orvalho discreto, gota a gota,
na ponta dos dedos...


Um beijo...

Pedrasnuas disse...

É urgente que o momento não fique adiado...o tempo não se compadece

simplesmenteeu disse...

mié

quando nos enganamos no Tempo ou no vento...
à que acertar o sentido do voo...

ou se dobram as asas... ou reflectimos na sua motivação...

Beijo. grande. terno.

simplesmenteeu disse...

Ana
"Haja musica... e pele..."
E as asas encontrarão o sentido e a força... Saberão romper as nuvens e encontrar o mel e flor...

Beijo grande

simplesmenteeu disse...

A.S.
"na ponta dos dedos"...
onde o olhar se esconde
e a caricia nasce...

Um beijo

simplesmenteeu disse...

Pedrasnuas

Se não apanhamos... o momento, o tempo passa por cima de nós...
Nem sempre é fácil retomar a caminhada...

Volta sempre
Beijo

gabriela rocha martins disse...

é tempo de me quedar por aqui
a ler

simples
mente

a ler.TE


.
um beijo

simplesmenteeu disse...

ficarei muito feliz...
se se "quedar por aqui"...
neste simples espaço meio envergonhado de existir...

um beijo



Chove no país das fadas...

e até as árvores se esqueceram de anunciar a primavera!...


Acerca de mim

A minha foto
procura de um sentido... .-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. "em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos" --A. Saint-Exupéry--