para que as aves não esqueçam o voo... e as árvores não deixem de anunciar a primavera...

Seguidores

sábado, 8 de agosto de 2009

**



entre a desarrumação das cinzas a palavra surge

como um rio de águas virgens a aplacar as dores

e a espalhar despenteadas sementes de um girassol caído de um lendário país alado


nem sempre a palavra faz a viagem do papel

às vezes, tropeça, engasga

ou fica no peito como pedra de ângulos afiados que faz sangrar mas não se solta.

é aquele nó que enrola a língua e a alma como peso aflitivamente morto.


para que a palavra seja um respirar incontido

estendo os dedos

e fico a sentir a vibração das aves e do vento
**

27 comentários:

mie disse...

Magnifico momento

"nem sempre a palavra faz a viagem do papel"

e aqui a viagem é de paz.

...ainda ando a planar :)

um beijo

enorme e terno. sempre.

Ana Oliveira disse...

E o vento trás tanta coisa...seja brando ou furia engasgada...

E é nos dedos estendidos, onde poisam as aves sem ninho, que ele se faz melodia ou choro...

E se demora

E às vezes se eterniza


Um beijo

Ana

Maria disse...

Sei do nó que asfixia e dói na gargante e no estômago. E da palavra que não sai.
Por isso estendes os dedos, que seguro, com ternura...

Beijo, sempre

isabel mendes ferreira disse...

um nó. enorme.


apertado.


e a vida a deixar de ser laço.


e um belo texto.

boa noite L.

maria josé quintela disse...

"nem sempre a palavra faz a viagem do papel"

e aqui a outra viagem desata os nós.



um beijo.

simplesmenteeu disse...

mie

Gosto de esperar por ti
mesmo quando sei que não vens...

...e é bom imaginar-te como uma gaivota de asa livre.

beijo grande e carinhoso.sempre.

simplesmenteeu disse...

Ana Oliveira

O vento dá sentido e desperta o voo
caricia,lamento ou palavra que ficou esquecida (ou não dita)...
Mas passa e fica...
nos dedos que toca
no cabelo que desalinha...
ou na pena que deixa cair numa rua escondida...

Beijo grande

simplesmenteeu disse...

Maria

...talvez porque, mesmo eu não dizendo que dói, tu sempre o saberás ler nas minhas palavras.

E, é muito bom, ter a tua ternura por perto.

(que o teu tempo seja de sementes férteis...)

Beijo carinhoso de sempre

simplesmenteeu disse...

isabel

escrever
para libertar os nós que magoam.

escrever ou equilibrar pontes

para encontrar sorrisos

e bordar novos laços.

(obrigada pelas palavras.)

Um Beijo

simplesmenteeu disse...

maria josé quintela

Obrigada pela visita e pelas palavras.

Mas, entre viagens, desatamos nós

e criamos (ou julgamos, poder criar)os nós do afecto.
às vezes, são um engano. outras ficam, com letras bordadas a ouro fino e eterno.

Um Beijo

Secreta disse...

Nem sempre a palavra tem o fim que desejamos. Mas só nos lhe podemos dar o caminho certo.

GRH disse...

:)

Olá,

Vou-te perguntar baixinho o seguinte:

consegues ver o sol?

respondes quando tiveres tempo, vou ficar á espera.

simplesmenteeu disse...

Secreta

Quando a palavra se solta, são imprevisíveis os caminhos que vai percorrer. É como se ganhasse vida própria.

Um beijo

simplesmenteeu disse...

GRH

No fundo, acredito que sim.

(Sempre olhamos. Mesmo que nos queima o olhar...)

É só limpar os olhos e dirigi-los para a luz...

Gostei da visita. Obrigada.

Um beijo

AFRICA EM POESIA disse...

Passei e deixo...


VOU

Vou…
Venho …
E …
Fico…

Vou para onde?
Venho porquê?
E fico para quê?

Não sei …
Não encontro resposta…

Só sei…
Que vou…
Que venho…
E que fico…


E quando vou…
Quero ficar…
Porque sei que vou…
Que volto …
E quero ficar…



Lili Laranjo

Maria Dias disse...

As palavras têm asas e são libertas
quando escritas...
Mas quando ela sai da boca nem sempre saem livres,as vezes voam mas com as asas aparadas,as vezes acontece de nao sair inteira,e acontece engasgar e muitas vezes ficam presas na garganta...
No papel podemos voar e na tela do computador tb...Bonito o q vc escreveu...Linda a viagem nas asas desta ave.

♥ ♥ Rabiscando disse...

As palavras as vezes ficam difíceis e o melhor mesmo é deixar o vento a levar nas asas de um pássaro.

Grande beijo!

simplesmenteeu disse...

Lili

Entre o ir e voltar, muitas interrogações e um certeza - a de querer ficar...

Talvez um voo com raízes...

Obrigada pelo poema

Um beijo

simplesmenteeu disse...

Maria Dias

É, na palavra (escrita), que muito homens se soltam das grades que lhe ferem o corpo e a alma.
Nelas voam ao infinito.
Quando elas se recusam a sair é como se deixassem de respirar e a vida se suspendesse.

Obrigada pelo carinho do teu selo.

Um beijo

simplesmenteeu disse...

Rabiscando

Obrigada pela visita e pelas palavras.

Talvez os pés se agarrem ao chão mas o meu pensamento voa fácil...

Um tranquilo e terno descanso (pausa)

Rápido regresso.

Beijo carinhoso

AFRICA EM POESIA disse...

Simlesmenteeu

o mar á assim
dá para nos sentarmos numa pedra sem ninguém e sentir o seu bater o ser namorar... Eu gosto muito do mar...
E adoro passar e ler...magia...
beijos

Boa semana...

Carlos Ramos disse...

Muito belo em termos estéticos e plásticos. Gostei do spleen melancólico. Bj.

Vieira Calado disse...

O vento torce os nós do tempo...



Bjs

simplesmenteeu disse...

AFRICA EM POESIA

ver e namorar o mar. sem vozes.
só o enrolar e desenrolar das ondas...
os beijos salpicados de sal...
a magia do verde/espuma branca.

noite tranquila
(obrigada pela companhia e pelo desejo de boa semana)

beijos

simplesmenteeu disse...

Carlos Ramos

Obrigada pela visita e pelas palavras.
Fico feliz que tenha gostado.

Há tempos de melancolia, em que nem as palavras ajudam. Ausentam-se e por mais que sejam chamadas não aparecem...

Um beijo

simplesmenteeu disse...

Vieira Calado

O vento ajuda a perpetuar muita coisa porque é um agente de renovação...

Beijos

gabriela rocha martins disse...

simples mente

és POETA




.
um beijo



Chove no país das fadas...

e até as árvores se esqueceram de anunciar a primavera!...


Acerca de mim

A minha foto
procura de um sentido... .-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. "em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos" --A. Saint-Exupéry--