para que as aves não esqueçam o voo... e as árvores não deixem de anunciar a primavera...

Seguidores

sábado, 5 de junho de 2010

**

é no olhar dos pássaros que adormece a memória da terra.
fruto alimentício e breve. moldável e sulfúrico.
as penas de sal e mar embalam a carícia da água. o canto franjado das ondas.
o enleio macio da espuma - sabor a verão a derramar-se em cor.
o desafio nasce nas asas. no apelo silente do ar.
no voltear em que se erguem acima das árvores e das nuvens.
o coração
rasga a teia bordada a seda. cinza e lava.
e solta-se em pérolas incandescentes com dentes de pele e chama.
**

13 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

olhar puríssssssssssssssssimo!!!!!!!



beijo L.

Lídia Borges disse...

Uma íntima sintonia dos sentidos: o olhar dos pássaros; o tacto na carícia da água; o sabor a verão; a audição no silencio do ar; o olfacto da cinza e lava...
Que mais dizer se o sentir inteiro de um poeta se adentra, assim incauto, pelo poema.

Um beijo

Maria disse...

As tuas palavras deixam-me em estado líquido...
Obrigada!

Um beijo, terno.

Menina Marota disse...

"é no olhar dos pássaros que adormece a memória da terra."

Belo!

Grata pela partilha de tão sensíveis palavras.

Bjo e bom Domingo :-)

Ana Oliveira disse...

Obrigada por voltares com as palavras "de macio enleio"

Um beijo

Ana

Multiolhares disse...

Deveríamos aprender a ver com os olhos dos pássaros, que dão valor á mãe natureza
beijinhos

Graça Pires disse...

"é no olhar dos pássaros que adormece a memória da terra"
Um começo sensacional para um poema lindíssimo.
Beijos.

gabriela r martins disse...

para que se alertem os cinco sentidos..........




.
um beijo

Vieira Calado disse...

Olá, amiga, boa noite!

O meu computador pifou!

Estou num bar, em condições exíguas de tempo.

Desejo-lhe bom fim de semana.

Bjs

Graça disse...

Belo, sim. Um prazer ler-te!


Um beijo.

avlisjota disse...

O desafio está na liberdade do ar que respiramos... sentirmos-nos livres de coração aberto a planar no alimentício fruto.

Bjs

José

AC disse...

"é no olhar dos pássaros que adormece a memória da terra."

Que palavras maravilhosas, plenas de densidade!
Abraço

P.S. Utilizei uma imagem do seu blogue, espero que não se importe.

Joaquim do Carmo disse...

... e na "memória da terra" mais um belo poema ficou gravado - disponível a esse olhar - abrangente e puro - dos pássaros!
Descobri, através do blogue "AC" este espaço e, deliciado da visita, decidi segui-lo - se me permitir.
Abraço



Chove no país das fadas...

e até as árvores se esqueceram de anunciar a primavera!...


Acerca de mim

A minha foto
procura de um sentido... .-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. "em cada um de nós há um segredo, uma paisagem interior com planícies invioláveis, vales de silêncio e paraísos secretos" --A. Saint-Exupéry--